Um Voo Cego A Nada...

" Ter-se nascido ou vivido em Moçambique é uma doenca incurável, uma virose latente. Mesmo para os que se sentem genuínamente portugueses mascara-se a doenca, ignora-se, ou recalca-se e acreditamo-nos curados e imunizados. A mínima exposição a determinadas circunstâncias desencadeia, porém, inevitáveis recorrências e acabamos por arder na altíssima febre de uma recidiva sem regresso nem apelo". Rui Knopfli

domingo, 11 de abril de 2010

Haja névoa




Haja névoa!
Dancem os véus na minha alma
(E externos nas luzes próximas,
Que se recusam como estrelas na distância).
Haja névoa!
Paire nela a memória dos maníacos
Sonhando na penumbra dos portais
Assassínios brutais.
Haja, haja névoa!
Aqui e além no mar.
No mar, nos mares, para que todas as viagens,
Para que todos os barcos em todas as paragens,
Na iminência dos naufrágios improváveis
- Improváveis, possíveis -,
Se gastem nos avisos aflitos
Das luzes, dos rádios, dos radares,
Dos gritos
Dos apitos.
Haja, haja névoa...
Desgastem-se os contornos
Das coisas excessivamente conhecidas.
Não haja céu sequer.
Névoa, só névoa!
E eu, nas ruas distorcidas,
Livre e tão leve
Como se fosse eu próprio a névoa
Da noite longa duma existência breve.


Reinaldo Ferreira, “Poemas”, Livro I – Um voo cego a nada, Lourenço Marques, Imprensa Nacional de Moçambique, 1960.

Este blogue faz hoje quatro anos, é muito tempo para actividade de "copy & paste", a ideia inicial era, tão só (daí o titulo), colocar aqui as poesias de Reinaldo Ferreira, mas, amigos como a IO, Web e MD incentivaram-me a continuar, novos e fieis leitores e a constatação através dos motores de busca de alguma utilidade, fizeram o resto.
A todos o meu Obrigado.

Etiquetas: , ,

5 Comments:

Blogger Armando Rocheteau said...

Muitos parabéns.

domingo, 11 de abril de 2010 às 19:15:00 WEST  
Blogger cduxa said...

Parabéns. Continuem. O copy past com ...gindungo...anonas...continuem.

terça-feira, 13 de abril de 2010 às 22:07:00 WEST  
Blogger Macua said...

Armando,
Já lá vão quase 40 anos desde a Caetano Viegas, dos primeiros amores, as bulhas, o teu pastor alemão, eu sei lá...
É bom ver-te por aqui.
Obrigado
Abraço

cduxa,
Obrigado, é bom o incentivo, prometo continuar enquanto a imaginação não faltar...

quarta-feira, 14 de abril de 2010 às 00:14:00 WEST  
Blogger Armando Rocheteau said...

Eh pá estás em vantagem. Não sei quem és, embora saiba agora que nos conhecemos da Caetano Viegas. Contacta-me! armandorocheteau@gmail.com
Abraço

domingo, 18 de abril de 2010 às 18:17:00 WEST  
Anonymous IO said...

Xiii, Fernando, e eu que não venho cá há tanto tempo... Caraças, que o stress do simplex nunca mais acaba!...
Oh, pá, não acabes e vai fazendo anos, tu e este blog onde me sinto no leaving a ler e a ouvir.
Parabéns aos dois,
um beijo para ti,
IO

A Caetano Viegas era uma espécie de praceta, não era? - os meus primos viveram na Praceta nos anos 60.

sábado, 1 de maio de 2010 às 17:08:00 WEST  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home