Um Voo Cego A Nada...

" Ter-se nascido ou vivido em Moçambique é uma doenca incurável, uma virose latente. Mesmo para os que se sentem genuínamente portugueses mascara-se a doenca, ignora-se, ou recalca-se e acreditamo-nos curados e imunizados. A mínima exposição a determinadas circunstâncias desencadeia, porém, inevitáveis recorrências e acabamos por arder na altíssima febre de uma recidiva sem regresso nem apelo". Rui Knopfli

sexta-feira, 18 de agosto de 2006

Posteridade


Um dia eu, que passei metade

da vida voando como passageiro,

tomarei lugar na carlinga

de um monomotor ligeiro

e subirei alto, bem alto,

até desaparecer para além

da última nuvem. Os jornais dirão:

Cansado da terra poeta

fugiu para o céu. E não

voltarei de facto. Serei lembrado

instantes por minha família,

meus amigos, alguma mulher

que amei verdadeiramente

e meus trinta leitores. Então

meu nome começará aparecendo

nas selectas e, para tédio

de mestres e meninos, far-se-ão

edições escolares de meus livros.

Nessa altura estarei esquecido.




Rui Knopfly, "Mangas verdes com sal", 1972, 2ª Ed., LM, Minerva Central

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Os cabelos do personagem da foto parece que já estão a levantar voo !!!!!!!!!!
estou a brincar
Um beijo
MD

quinta-feira, 7 de setembro de 2006 às 23:47:00 WEST  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home